domingo, 12 de julho de 2009

A conexão maranhense de Edemar Cid Ferreira

O ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, 66 anos, mantém, há 33 anos, uma conexão que o prende ao estado do Maranhão.Amigo do então senador José Sarney, Edemar foi padrinho de casamento de Roseana Sarney e Jorge Murad, realizado em 1976, na catedral da Sé, em São Luís, ocasião em que conheceu Márcia, a madrinha do enlace, filha do então também senador Alexandre Costa, falecido em 1998.Daí em diante, as relações de Edemar com o Maranhão - na verdade, com alguns poucos maranhenses - se estreitaram. Viúvo, casou-se dois anos depois com Márcia, a filha do senador e caxiense, tendo como padrinhos os mesmos Roseana e Jorge.Em sua mansão hollywoodiana, no bairro paulistano de Cidade Jardim, tendo como vizinhos o banqueiro Joseph Safra e o industrial Antonio Ermírio de Morais, coincidentemente comprada quando era presidente da República seu amigo José Sarney, hospedava-se Roseana quando ia a São Paulo, a passeio, a trabalho ou em tratamento de saúde, como quando, no ano de 2000, permaneceu até restabelecer-se da operação de retirada de um nódulo do seio direito, no Hospital Sírio-LibanêsSegundo noticiou o Jornal do Brasil e a revista Exame, teria o benemérito Edemar entregue a Roseana um cartão de crédito internacional, ilimitado, emitido pelo Banco Schroder, de Miami, cujos débitos mensais eram debitados na conta dele próprio.Mais ainda: o marido de Roseana, Jorge Murad, teria sido feito sócio do banqueiro "num banco no Caribe, o Claymoore Bank, que seria o destino de centenas de milhões de dólares que teriam sido alcançados em excelentes negócios realizados à sombra do governo do sogro [de Murad] e amigo José Sarney".No início de 2004, o Banco Central verificou que os ativos do Banco Santos não davam para cobrir nem 50% das dívidas com seu credores, o que, por lei, é motivo de liquidação. O rombo, denominado tecnicamente como "passivo descoberto", era de mais de R$ 2,2 bilhões.O Banco Central decretou intervenção na instituição, mas depois de levantado o déficit, não havia outra alternativa senão decretar a falência do banco. O Ministério Público de São Paulo pediu a falência do banqueiro e de dez empresas ligadas a ele e seus familiares. O promotor de Justiça Alberto Camiña Moreira, que assinou o pedido, disse que Edemar usava esse leque de empresas para promover fraudes e confusão patrimonial.Edemar Cid Ferreira e outros dezoito ex-dirigentes do Banco Santos foram denunciados pelo Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, gestão fraudulenta e evasão de divisas.Nos dias que antecederam a intervenção no Banco Santos, o então presidente do Senado, José Sarney, ainda tentou interceder junto ao presidente Lula para a suspensão dessa medida. Na véspera da intervenção, já encerrado o horário de expediente, o senador Sarney ainda conseguiu fazer uma transferência de R$ 2,2 milhões que mantinha ali aplicado para o Banco do Brasil, numa escandalosa operação que demonstrava ter havido informação privilegiada e tráfico de influência. Em contrapartida, milhares de desavisados aplicadores e correntistas estão até hoje no prejuízo.Edemar foi preso em maio de 2006 pela Polícia Federal. No fim deste mesmo ano foi condenado a 21 anos de prisão e o seu filho a 16, e foi preso novamente. Porém, em 28 de dezembro, obteve habeas corpus, concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).Desde então encontra-se em liberdade, mas todos os seus bens, incluindo sua coleção de arte, propriedades e sua mansão fazem parte da massa falida do Banco Santos, para o pagamento de clientes, governo, fornecedores, funcionários e clientes.Apesar de casada em regime de separação total de bens, a mulher de Edemar, Márcia, aparece como acionista principal de mais da metade das empresas da família e detentora da maior parte

Um comentário:

ANTONIO disse...

ESSE CIDADAO E UM BANDIDO DE COLARINHO BRANCO LIGADO A SENADORES DA REPUBLICA COMO ALEXANDRE COSTA E SARNEY COM NOSSAS LEIS FRAGEIS NADA VAI LHE ACONTECER ISSO E UMA VERGONHA.
ANTONIO CARLOS DE BRASILIA DF